sexta-feira, 16 de maio de 2008

...

Diante do infinito
Todos somos iguais
Não existe hoje
É sempre tarde demais

Espaços são fluidos
Deuses são universais
O tempo que anda pra frente
É o mesmo que corre pra trás

O motivo é indiferente
Nascimentos são fatais
O inverno é permanente
Sentimentos são impessoais

Diante do infinito
O tempo está perdido
Somente o acaso faz sentido

2 comentários:

silvia disse...

Não existe hoje
É sempre tarde demais!

Deus te abençoe por tamanha clareza e sensibilidade!

Silvia

Luiza disse...

Muito bonito... belo infinito.

Luiza Sarmento